Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2007

Cândido

Um acidente rodoviário em Odemira. Um ferido grave, a necessitar de cuidados médicos imediatos. Falta de ambulâncias. Sete horas de espera até que esses cuidados pudessem ser prestados. Nada de anormal, disse o ministro da saúde. Aproveitou ainda para dizer (por outras palavras): Que se lixe o acidentado – o tipo ia morrer à mesma…

 

São episódios como este que nos permitem ver além do país que nos querem vender. Que permitem que nos apercebamos da crua realidade do país em que vivemos. Esperar sete horas para acudir a um ferido grave é simplesmente inaceitável. Ponto final. Esperamos dos nossos governantes que comunguem desta opinião, e que procurem melhorar o estado das coisas. Não esperamos que nos tentem iludir com declarações cândidas (cínicas?), garantindo-nos que vivemos no melhor dos mundos.

 

Até quando é que temos que aturar este tipo no ministério da Saúde?

 

tags:
publicado por Carlos Carvalho às 02:07
link | comentar | favorito
2 comentários:
De JS a 18 de Janeiro de 2007
Belo, Blog mas
Desculpe, lá mas como é que conseguiu por os posts recentes como estao (com barra de rolagem)???
Podia-me dizer?
De Carlos Carvalho a 18 de Janeiro de 2007
Penso que se refere à barra de rolagem do arquivo. Esta é uma opção disponível na personalização intermédia dos blogues do Sapo.

Comentar post

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds