Quinta-feira, 7 de Dezembro de 2006

Mudanças

É costume ouvir-se nos debates sobre o aborto que tudo está na mesma desde o último referendo. Nada mais falso, pelo menos no que toca à maternidade.

 

O gráfico anterior mostra a distribuição percentual das idades em que as mulheres têm o primeiro filho e a sua evolução entre 1996 e 2005.

 

Em 1996, havia quase tantas mulheres a ter o primeiro filho entre os 20-24 anos como entre os 25-29. Em dez anos, verificou-se um forte declínio daquela faixa etária, ao ponto de ter sido ultrapassada pela dos 30-34 anos.

 

Em 1996, havia quase tantas mães pela primeira vez com menos de 20 anos do que com 30-34. Em dez anos, as primeiras passaram a ser três vezes menos do que as segundas (aproximando-se dos valores verificados na faixa dos 35-39 anos). Em dez anos, o número de mães teenagers caiu 30%.

 

A faixa etária maioritária continua a ser a dos 25-29 anos, tendo esta permanecido relativamente estável (“recebeu” mães das faixas abaixo e “perdeu” mães para as faixas acima). A continuarem as actuais tendências, é provável que também esta faixa venha a sofrer um declínio.

 

Conclui-se assim que, em dez anos, diminuiu a maternidade entre as teenagers, que as mulheres estão a adiar cada vez mais a decisão de serem mães, e que os números evoluíram com rapidez e amplitude – pelo menos o suficiente para que não se possa dizer que está tudo na mesma.

 

tags:
publicado por Carlos Carvalho às 03:47
link | comentar | favorito

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds