Quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2005

Jerónimo e a consolação

Por estranho que pareça, acho que o debate correu bem a Jerónimo de Sousa.

Ao contrário de Carvalhas, que nunca se conseguiu afastar da imagem de burocrata desbobinador de cassetes, Jerónimo tem vindo a conseguir humanizar a imagem do PCP e da sua direcção.

Apesar de debilitado, Jerónimo compareceu ao debate, esforçou-se o mais que pôde para falar e só se rendeu quando todos já tinham percebido a sua incapacidade de continuar. Deu pois a imagem simpática de um ser de carne e osso que saiu honrosamente de campo por força das circunstancias.

Paradoxalmente, a afonia funcionou a seu favor: falou pouco e abordou apenas um assunto, bem escolhido e que ficou na memória dos espectadores. É mais fácil decorar um parágrafo do que decorar um livro.

O que propuseram os outros líderes? Várias coisas, umas boas e outras más. O que propôs Jerónimo de Sousa? A salvação da indústria têxtil nacional, causa com que todos concordarão.

O mais que dissesse só serviria para estragar a boa imagem que nos deixou.

 

publicado por Carlos Carvalho às 21:42
link | comentar | favorito

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds