Segunda-feira, 5 de Setembro de 2005

Manuel triste

Manuel Alegre deve ser o único político português que gosta de levar pancada. Quem assistiu ao seu discurso, ficou certamente espantado com o tom glorioso com que o pseudocandidato anunciou a sua desistência. Pelos vistos, só a derrota é grandiosa...

O seu discurso, embora literariamente correcto, foi politicamente confrangedor. Na primeira parte do discurso, Manuel Alegre disse-nos que a sua candidatura seria boa para o país. Na parte final, disse-nos que a sua candidatura seria má para o partido.

Conclusão: Entre o país e o partido, Manuel Alegre escolheu o partido.

Corolário: Para Manuel Alegre, o partido é mais importante do que o país.

Eis o exemplo acabado de um homem de Estado. Eis o espécime perfeito para ocupar a Presidência...

publicado por Carlos Carvalho às 23:15
link | comentar | favorito

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds