Quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2006

Contas e alianças

"Sou contra o casamento gay, mas não me importo de lhes vender as alianças". Esta afirmação, certamente subscrita por muita gente, reflecte a discrepância que por vezes existe entre o plano dos princípios e o da vivência quotidiana.

Historicamente, o peso económico foi um dos argumentos mais fortes usados por várias comunidades gay para promover a sua aceitação social. Por isso, julgo ser importante responder à seguinte questão: qual o impacto dos casamentos gay nas contas do Estado e na economia em geral?

Não sei se o Estado ganhará ou perderá dinheiro com a legalização dos casamentos gay. Mas há sectores da actividade económica que teriam muito a ganhar com esta legalização.

Como diria o outro, é fazer as contas. Se a legalização destes casamentos significar mais dinheiro para o Estado e para os cidadãos, julgo que os seus defensores deverão fazer alarde disso.

É que é muito mais fácil vencer resistências se a cedência implicar mais dinheiro nos bolsos...

publicado por Carlos Carvalho às 02:40
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds