Segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2006

A Liberdade é grande

"Ainda que não concorde com o que dizes, defenderei até à morte o direito de o dizeres". Esta frase, com que Evelyn Beatrice Hall resumiu o pensamento de Voltaire, é ilustrativa de um dos pilares da nossa civilização: a liberdade de expressão.

Deve existir liberdade de imprensa. Mas deve também existir liberdade de manifestação. Um jornal deve poder publicar tudo o que entenda ser apropriado. Mas aqueles atingidos por essa publicação devem também poder exprimir a sua indignação - até judicialmente, se for o caso.

Alguns jornais publicaram caricaturas de Maomé. Tudo bem. A maioria dos muçulmanos manifestou, pública e ordeiramente, a sua indignação. Igualmente, tudo bem.

Se as coisas tivessem ficado por aqui, teríamos apenas assistido ao exercício de duas vertentes da liberdade de expressão. O que é normal e até saudável. O problema é que as coisas não ficaram por aqui.

Tendo sempre a desconfiar da espontaneidade das manifestações oriundas de países onde as manifestações espontâneas são reprimidas. Desconfio sobretudo quando essas manifestações degeneram em violência (consentida?) e acicatam o extremismo que serve de suporte a muitos movimentos e regimes.

Muitas destas manifestações foram aproveitadas (desencadeadas?) por quem, a coberto do Islão, não pretende mais do que diabolizar o ocidente, reforçar alguns regimes e dificultar a abertura de outros.

Por outro lado, a antiamericanite de alguma Europa levou-a a pactuar com movimentos e até com regimes pouco recomendáveis. Talvez por isso se sinta incomodada quando tem de apontar o dedo àqueles compagnons de route que tão úteis lhe foram em outras ocasiões. Talvez por isso não consiga agir com o vigor necessário naquelas situações em que valores mais altos se levantam.

A cedência a exigências abstrusas por parte de algumas diplomacias ocidentais mais não fez do que acentuar o relativismo ético em que vivemos, em que só se mantêm os valores que não dão muito trabalho defender. Nem custam muito dinheiro.

Os extremistas sabem que a Liberdade é grande, e tudo farão para a combater.

As sociedades ocidentais sabem que a Liberdade é grande. Mas o que muitos parecem ignorar é que esta não se defende com cobardias. Nem dormindo com os seus inimigos.

publicado por Carlos Carvalho às 20:16
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds