Sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2006

Uma questão de marketing

De acordo com o artigo 13.º da Constituição, ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão da sua orientação sexual.

Com base neste artigo, há quem defenda que o casamento, tal como o conhecemos, é inconstitucional. Há quem diga que os homossexuais estão impedidos de aceder ao casamento. Discordo. O que há mais por aí é homossexuais casados.

A ninguém é perguntada a sua orientação sexual no momento do casamento, e a ninguém é recusada a sua celebração por se declarar homossexual.

É possível que o maior problema do casamento esteja na sua estratégia promocional. Nestes tempos politicamente correctos, nunca será demais realçar que o casamento é o único contrato em que a paridade entre os sexos está assegurada à partida.

O que, convenhamos, está de acordo com o espírito e com a letra da Constituição...

publicado por Carlos Carvalho às 22:58
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds