Sexta-feira, 13 de Abril de 2007

Fúria de viver

Narana Coissoró (CDS): - Gostaria de salientar a presença da Sr.ª Deputada Odete Santos, que, pela primeira vez, volta a esta Câmara depois do infaustíssimo acontecimento que a enlutou e a toda a sua família. A bancada do CDS, o meu próprio partido e eu próprio não podíamos deixar de manifestar-lhe a nossa total solidariedade na dor e, embora ela não acredite nisso, exprimimos o nosso pensamento: «Que Deus guarde o seu filho!»

Joaquim Marques (PSD): - Em nome da bancada do Partido Social-Democrata, quero dizer-lhe que a acompanhamos neste momento difícil e que a nossa solidariedade está com ela.

Jorge Lacão (PS): - Gostaria de dizer à Sr.ª Deputada Odete Santos que compreendemos muito bem aquilo que é a dor de uma mãe. Pode ter a certeza, Sr.ª Deputada, que a acompanhamos neste momento.

Raul Castro (ID): - Não podemos deixar de aqui e neste momento, perante a sua dor, voltar a exprimir-lhe a total solidariedade do Agrupamento Parlamentar da Intervenção Democrática.

Marques Júnior (PRD): - Em nome do Partido Renovador Democrático, vimos apresentar-lhe a nossa mais viva solidariedade, as nossas sentidas condolências.

Presidente [Maia Almeida]: - Srs. Deputados, permitam-me que, em nome da Mesa e da Assembleia da República, acompanhe a solidariedade manifestada à Sr.ª Deputada Odete Santos.

 

Odete Santos (PCP): -Sr. Presidente, Srs. Deputados, quero agradecer, fá-lo-ei por escrito, a todos quantos neste momento, independentemente das posições políticas, estiveram comigo solidariamente. De facto, essa solidariedade ajudou-me a suportar momentos extraordinariamente difíceis.

Morreu um jovem de 15 anos e a solidariedade dos jovens da Escola de Setúbal foi uma coisa que também me impressionou extraordinariamente. Da morte deste jovem que era meu filho - e já houve tantas outras mortes... - muito gostaria que todos os jovens deste país tirassem a lição: de facto, muitas vezes a juventude é chamada para uma fúria de viver - a fúria de viver também dos nossos tempos de jovens -, uma fúria de viver que, independentemente agora de considerar as causas da morte, que estão ainda para esclarecer, os leva muitas vezes a determinadas saídas nocturnas sem autorização e contra a vontade dos pais, acabando por encontrar, mesmo que não sejam culpados, o fim de uma vida que nasceu para construir o futuro e não para acabar de uma forma brutal.

Muito obrigada, Srs. Deputados!

(Aplausos gerais).

 

Ercília Ribeiro da Silva (PSD): - Em nome de todas as mulheres sociais-democratas, gostaria de solidarizar-me com a Sr.ª Deputada Odete Santos. Tenho um filho com 18 anos e penso que neste momento nem seria capaz de estar aqui. Por isso, é com grande comoção que me solidarizo com a sua dor.

 

AR, 1988-03-10

publicado por Carlos Carvalho às 03:24
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds