Quarta-feira, 8 de Novembro de 2006

Joe Lieberman

Joe Lieberman, antigo candidato democrata a vice-presidente americano (ao lado de Al Gore), foi reeleito senador. Esta foi uma das maiores derrotas do Partido Democrata nestas eleições.

 

Apesar de ter sido uma das figuras mais gradas do seu partido, as suas posições “moderadas” (apoiou a guerra no Iraque, opôs-se ao casamento gay, admitiu a privatização da segurança social, etc.) tornaram-no persona non grata para muitos democratas mais “progressistas”. Estes moveram-lhe uma luta feroz, o que fez com que perdesse as primárias do seu estado para Ned Lamont, um democrata mais radical.

 

Em consequência, Lieberman decidiu sair do partido e candidatar-se como independente, o que levou a que fosse atacado por muitos dos seus antigos colegas. Apesar de dizer que, se reeleito, nunca alinharia com o Partido Republicano, acabou por ganhar as eleições graças ao voto de muitos republicanos (que o preferiram ao seu próprio candidato). A vingança serve-se fria.

 

A vitória de Lieberman pode ilustrar o que parece ser a tendência desta noite eleitoral: a vitória dos democratas deve-se aos moderados, não aos radicais. O Partido Democrata parece estar a posicionar-se mais ao centro, e, ao fazê-lo, afastou muitos dos republicanos mais moderados. Como resultado, o Partido Republicano parece estar agora mais encurralado à direita.

 

As coisas estão a mudar na América. Mas talvez não estejam a mudar tanto como alguns desejariam…

 

tags:
publicado por Carlos Carvalho às 04:22
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds