Sexta-feira, 28 de Julho de 2006

Problemas na coluna

António Perez Metelo, em coluna publicada hoje no DN (intitulada “'Katyushas' verbais”), assinou a seguinte pérola:

 

“O atabalhoado fogo verbal lançado pela direita parlamentar mais parecia uma saraivada de katyushas do Hezbollah: a maioria sai desgovernada e não acerta o alvo pretendido e os que provocam estragos limitados mais parecem reforçar a determinação dos inimigos do que acelerar a sua pretendida desmoralização.”

 

Em suma, António Perez Metelo compara a actuação da direita parlamentar ao lançamento de mísseis pelo Hezbollah. Esta comparação é de um profundo mau gosto, e imprópria de quem quer ser levado a sério como comentador responsável.

 

Caro António Perez Metelo: acha legítimo que uma situação que está a causar centenas de mortos seja usada para gracejar com o desempenho da oposição? Veio-lhe um sorriso aos lábios enquanto escrevia tais palavras? Perante este exemplo, como podem V.a Ex.a e o seu jornal criticar, de cara séria, algumas declarações mais infelizes de Alberto João Jardim ou de Fernando Ruas?

 

Esta comparação, sempre lamentável, poderia ser desculpável se produzida num ambiente partidário, durante uma discussão informal e mais acalorada. Não tem qualquer desculpa quando é apresentada por escrito e num jornal de referência.

 

Aliás, já há muito que António Perez Metelo abandonou o registo de comentador independente e tecnicamente preparado, para passar a vestir despudoradamente a sua camisola partidária.

 

Há muitos comentadores com ligações ou simpatias partidárias a escrever nos jornais, onde aproveitam o espaço que lhes cedem para louvar ou defender os respectivos partidos. Se a ligação partidária destes comentadores for divulgada ou sobejamente conhecida, não vem daqui mal ao mundo. Mas quando, a coberto duma fachada de independência e de competência, alguns (que se dizem) jornalistas usam as suas colunas para bajular os partidos e governos que apoiam, isto é grave, e destrói a imagem de isenção e de seriedade do jornalista e até do próprio jornal.

 

Não raras vezes, António Perez Metelo insere-se nesta categoria de “jornalistas”, que se apresentam como tal mas que não passam de uns lambe-botas. Desta vez ultrapassou os limites do bom-gosto, mas já há muito que ultrapassou os limites do pudor. Se tivesse vergonha na cara, já há muito que teria deixado de se apresentar como jornalista.

 

Querem testar as minhas palavras? Então leiam dois ou três artigos de opinião deste autor e a seguir respondam a esta pergunta: em quem votou António Perez Metelo nas últimas eleições?

 

tags:
publicado por Carlos Carvalho às 20:55
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds