Terça-feira, 18 de Julho de 2006

Especulações israelitas

É irresistível especular sobre o que Israel pretende com esta demonstração de força, dado o resgate dos soldados israelitas parecer mais um pretexto do que um objectivo (será que Israel recuaria se os soldados em questão fossem abatidos?). Especulemos então.

 

1. Nos últimos tempos, Israel procurou cumprir aquilo que a comunidade internacional lhe exigia. Mesmo quando não encontrou boa vontade das outras partes, avançou unilateralmente. Este “bom comportamento” de Israel não lhe trouxe mais segurança. Pelo contrário, serviu para reforçar os extremistas, que puderam cantar vitória e assim reforçar a sua popularidade, sem se verem obrigados a abandonar as suas teses mais radicais. A comunidade internacional pediu a paz. Israel aceitou o pedido. As outras partes não. Resultado: a comunidade internacional retirou apoio às outras partes, e deu rédea solta a Israel.

 

2. Israel sentiu que o clima internacional está a seu favor. Decidiu por isso pôr em marcha uma ofensiva há muito planeada. O rapto dos soldados foi o detonador aguardado.

 

3. Na troca de territórios por paz, Israel deu os territórios, os outros deram a palavra. Palestinianos e Hezbollah voltaram atrás com a sua palavra. Israel demonstra agora que também pode voltar a ocupar os territórios devolvidos.

 

4. Israel quer demonstrar que o Hezbollah não só não está a desarmar-se como, pelo contrário, tem um arsenal cada vez maior e mais sofisticado. O governo do Líbano não controla o sul do país, nem as suas forças armadas controlam a fronteira com Israel. Esta é uma guerra curiosa: a guerra de um estado contra um partido.

 

5. Israel quer responsabilizar a Síria e o Irão por esta crise, por estarem a armar o Hezbollah.

 

6. Israel não permitirá que o Irão entre no clube nuclear (literalmente, “só por cima do seu cadáver”). Israel não acredita no sucesso das negociações que a comunidade internacional quer promover. Com esta iniciativa, Israel está um passo mais perto de bombardear Teerão, e demonstra que não hesitará em fazê-lo se necessário. O Irão diz querer a guerra. Israel quer demonstrar que está preparada para ela. “Your move”, é o que Israel está a dizer ao Irão.

 

publicado por Carlos Carvalho às 00:01
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds