Sexta-feira, 14 de Abril de 2006

Vitória humilhante

Ribeiro e Castro convocou um congresso extraordinário na expectativa de que os “pesos-pesados” que se lhe opõem saíssem da sombra para lhe disputar a liderança.
 
Ao que tudo indica, tal não irá acontecer. Ao invés, parece que Ribeiro e Castro será obrigado à “humilhação” de disputar a liderança com figuras menores do partido. Esta é uma lose-lose situation:
 
Mesmo que assegure a liderança por uma margem esmagadora, Ribeiro e Castro terá ganho contra ninguém. Ficará tudo na mesma no CDS-PP, com a agravante de lhe poderem atirar à cara que o congresso não foi mais do que uma perda de tempo.
 
Se por acaso perder a liderança, reforça-se a ideia de que até o Rato Mickey poderia ser presidente do CDS-PP. Neste cenário, o país ficará com a impressão de que até a senhora que faz as limpezas no Largo do Caldas teria mais votos do que ele.
 
Mas o pior cenário é os seus adversários “cozinharem” nos bastidores uma vitória tangencial. Ribeiro e Castro será um líder (ainda mais) enfraquecido, sem qualquer autoridade para poder pôr a “banda” na ordem. Será uma espécie de sequela do episódio “da caneta”.
 
É este o maior risco que Ribeiro e Castro correrá no próximo congresso: conseguir uma vitória humilhante, degradar a sua liderança e permitir aos seus adversários uma vitória por falta de comparência.

 

publicado por Carlos Carvalho às 21:08
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds