Quinta-feira, 9 de Março de 2006

Quotas

A propósito do dia internacional da mulher, o PS voltou a desenterrar a ideia de introduzir quotas para as mulheres nas listas electivas. Como é costume aquando destas datas, o que se anuncia hoje já estará esquecido amanhã...

 

O maior problema deste tipo de medidas é a sua obrigatoriedade. Nada impede o PS de cumprir voluntariamente as quotas que pretende impor aos outros. Se o PS acredita que a paridade é boa de per si, porque é que não a implementa quando tem de elaborar listas? Ou - já agora - quando tem de nomear alguém para qualquer cargo?

 

Veja-se o que se passou aquando da composição do governo: tanto falatório a propósito da paridade entre sexos, e afinal só foram nomeadas duas ministras.

 

Coerência é praticar as virtudes que pregamos aos outros. Na promoção da paridade entre sexos, o PS nunca esteve disposto a ser coerente. O PS parece dizer: “As quotas são desejáveis? Claro! Vamos nomear mulheres? Só se formos obrigados!”
tags:
publicado por Carlos Carvalho às 04:33
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De js a 17 de Março de 2006 às 09:31
...as mulheres só querem "quotas" que tenham muito dinheiro!...e que já estejam com os pés prá cova...
FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt e http://mprcoiso.blogs.sapo.pt

Comentar post

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds