Sexta-feira, 25 de Março de 2005

Gelo quente

No debate de apresentação do programa do governo, José Sócrates limitou-se a anunciar medidas despesistas e populares, ao mesmo tempo que anunciava ao país o estado calamitoso das contas públicas.

Sócrates afirmou que não pretende aumentar impostos nem recorrer a receitas extraordinárias, mesmo quando, segundo ele, o verdadeiro défice orçamental se encontra acima dos 5%. Anunciou ainda a continuidade das SCUT, o aumento das pensões dos mais idosos e o aumento do investimento público. Medidas que em nada contribuem para a contenção da despesa.

"Sr. Primeiro-Ministro, o que prometeu aos portugueses foi fazer 'gelo quente', mas - lamento desiludi-lo, Sr. Primeiro-Ministro - 'gelo quente' não existe!..." - José Sócrates, 2004-10-14

publicado por Carlos Carvalho às 22:12
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds