Sexta-feira, 22 de Abril de 2005

Santana vive

Santana Lopes terá muitos defeitos, mas conserva ainda algumas qualidades políticas. Uma delas é a capacidade de se movimentar no interior do seu partido. Outra é o seu instinto de sobrevivência.


No último congresso do PSD, Santana demonstrou que conhece bem o partido. Com a sua presença e algumas palavras, fez com que Marques Mendes - que entrou no congresso quase aclamado como líder - saísse dele com uma vitória tangencial. O que se passou? Santana desempenhou o seu papel favorito: o de vítima. E Marques Mendes engoliu o isco ao colocar-se no papel do carrasco.


Este jogo irá repetir-se, em ponto grande, nas próximas autárquicas. Ao vetar o nome de Santana Lopes para a câmara de Lisboa, Marques Mendes voltou a engolir o isco.


Apesar de ter sido o cargo onde o seu desempenho foi menos mau, Santana Lopes sabe que dificilmente seria reeleito para a presidência da câmara. Mas não quis dar a imagem de estar a abandonar o posto. Assim, dramatizou a possibilidade da sua recandidatura, sabendo à partida que esta seria mal acolhida pela nova direcção do partido.


A memória é curta, e há sempre muita obra para mostrar antes das eleições. Por outro lado, o fogo da oposição não estará todo concentrado nele. Assim, creio que Santana Lopes tem a possibilidade (e o talento?) de melhorar a sua imagem até ao fim do ano. Se o conseguir, sairá da câmara com a cara lavada e de consciência tranquila.


Nessa altura colocar-se-ão dois cenários:


Cenário 1 – O PSD ganha a câmara de Lisboa
Santana Lopes poderá dizer que a vitória também lhe pertence. Que se deveu sobretudo a ele. Que foi afastado por questões pessoais. O partido estará disposto a voltar a aceitá-lo no seu convívio. Marques Mendes não perde esta batalha, mas também não a ganha por grande margem.


Cenário 2 – O PSD perde a câmara de Lisboa
Se o PSD sofrer uma hecatombe nas autárquicas (o que é possível) e se perder Lisboa (o que é provável), o seu líder ficará numa posição fragilizada. Não faltará quem acuse Marques Mendes de pôr as questões pessoais acima dos interesses do partido.


Santana culpará Marques Mendes pela derrota. E nem Marques Mendes nem Carmona Rodrigues poderão dizer que a culpa é de Santana. Teremos Santana outra vez como vítima, e Marques Mendes outra vez como carrasco.


A simpatia pelo carrasco é, em geral, diminuta. Nesta ocasião será nula. Marques Mendes será um líder a prazo. E Santana Lopes terá a sua sobrevivência política assegurada, pelo menos dentro do seu partido.

publicado por Carlos Carvalho às 02:08
link do post | comentar | favorito
|

.autor

. Carlos Carvalho

. cesaredama@sapo.pt

.pesquisar

.artigos recentes

. Elites à rasca?

. Versões de Portas

. A maior de sempre?

. Fama

. Passos

. Escalões

. Obrigadinho

. Não entendo

. Coincidências

. O aleijadinho de Alijó

. Humor negro

. Calendário

. Manuais escolares em .pdf

. Guerra ao imposto

. Cuidado com os ciclistas ...

.arquivo

.sugestões

blogs SAPO

.subscrever feeds